sexta-feira, 31 de março de 2017

Saladeiro São Miguel em Passo Fundo



UMA CHARQUEADA PASSO-FUNDENSE


Em 1914 a firma J.J. Magalhães & Cia. iniciou as atividades saladeris em Passo Fundo, tendo como local escolhido para a sua implantação a região conhecida como Umbu, próximo a Pulador.

Estando a cidade de Passo Fundo geograficamente situada na região do Planalto Médio e no interior do Estado, ou seja, sem litoral e observando que o modo tradicional e mais utilizado de escoamento da produção na época era o marítimo, seja pelos gastos com os fretes ou pela dificuldades do transporte rodoviário ou a pé, que emagrecia o gado e que era moroso, era preciso buscar outra forma de escoar a produção da charqueada passo-fundense.

Assim, para solucionar este problema o Saladeiro de São Miguel foi estabelecido às margens da linha da Viação Férrea do Rio Grande do Sul, isso facilitou a distribuição de seus produtos para o seu mercado interno e consumidor do centro do país.

Ainda não se pode esquecer de outro fator importante para a constituição de uma charqueada interiorana e fora do eixo principal – no caso, fronteiriço e litorâneo no Estado: a grande quantidade de gado aqui existente, aproximadamente 65.000 cabeças.

Mo que diz respeito ao Saladeiro de São Miguel, a sua produção na fase inicial foi de aproximadamente 10 mil cabeças de gado abatidas anualmente e exportadas para os principais centros como Bahia, Rio de Janeiro e Pernambuco. O Saladeiro comercializava em média 850 mil quilos de charque por safra, uma soma nada inexpressiva para uma empresa, que no início, era basicamente artesanal, não era provida de luz elétrica, nem água encanada e que dependia das linhas do trem para escoar sua produção.

Anos mais tarde, houve a ampliação da empresa, com a adesão na sociedade do pecuarista Jonathas Waihrich e do investidor Domingos Lopes, época em que a charqueada passou a ser denominada como Magalhães, Lopes & Waihrich.

No ano de 1927, Passo Fundo estava em 15º lugar no Estado em quantidade de bovinos com um rebanho de aproximadamente 196.500 cabeças de gado, contudo, o Saladeiro de São Miguel também sofria com a crise, pois a mesma trouxe a diminuição da procura do produto. Ocorre que o charque estava se acumulando, e parado em seu estabelecimento, onde as pilhas só aumentavam. Esse era o primeiro indício de prejuízos na indústria charqueadora e consequentemente do Saladeiro.

Mas o desfecho para a charqueada passo-fundense seria outro. Em meados de dezembro de 1931, à meia noite, após a passagem do trem de passageiros o Saladeiro de São Miguel incendeia e as chamas o consomem por completo. Neste fatídico episódio de destruição são perdidos maquinários, casas, equipamentos e todo o depósito de charque que possuía em seu estabelecimento. Segundo relatos, o fogo teria iniciado com as fagulhas do trem de passageiros que por ali passara.

Assim, o entreposto comercial saladeiril de São Miguel decreta a sua falência no ano de 1932, e põe a leilão o que restou de sua estrutura, como terras e imóveis, pois era necessário pagar o sinistro para que os seus proprietários recebessem o valor da apólice de seguros que haviam feito há aproximadamente um ano antes do acontecido.

Quanto à vila que existia ao redor do Saladeiro e ao entreposto comercial, composto por depósito de madeiras, moradias, armazéns que ali existiam, foram gradativamente se extinguindo como as chamas que consumiram com a empresa comercial ou indústria saladeiril que antes se situava naquele lugar.

Daniel Ricardo Damiani
Acadêmico do Curso de História
Imagem: Funcionários do Saladeiro São Miguel
Acervo particular João Carlos Wahrich Neto
Fonte: Acervo AHR

Arquivo Histórico Regional – UPF
R. Paissandu, 1576 – Centro
Fone: 3316 8516 – e-mail: ahr@upf.br – site: www.upf.br/ahr
Doações de documentos são recebidas o ano inteiro.

Colaboração: Hilton Araldi

MTG participará do 14º Fenart





O Movimento Tradicionalista Gaúcho participará do 14º Fenart – Festival Nacional de Arte e Tradição, 18º Rodeio Crioulo Nacional de Campeões e do 8º Jogos Tradicionalistas. Os eventos acontecem de 19 a 23 de julho em Querência, Mato Grosso, realizados pela Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, pelo MTG de Mato Grosso e CTG Pousada do Sul.

Segundo Nairo Callegaro, presidente do MTG, no total os organizadores do evento aguardam a participação de 4 mil competidores, representantes de todos os estados brasileiros onde tem MTGs, e em breve a entidade confirmará o número de participantes do Rio Grande do Sul. “É uma oportunidade única de reforçarmos o tradicionalismo gaúcho em nível nacional e também de revermos amigos”, afirma.

Recentemente, o vice-presidente campeiro do MTG, José Araújo, esteve no município de Querência para conhecer as instalações onde serão realizadas as provas. Na ocasião, o presidente da CBTG – Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, João Mello, fez o receptivo aos visitantes.

Foto: Vanessa Welter
Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG

Conselho Assessor 1ª RT elege mesa diretiva



Ontem, 29/03/2017 reuniram -se na sede da 1ª RT, Rua Landell de Moura, 430 Bairro Tristeza por convite do Coordenador Lamaison os  membros eleitos para os conselhos: assessor, ética e fiscal da 1ª RT.
Conforme estatuto da 1ª RT a pauta da primeira reunião foi a escolha das mesas diretivas, bem como outros encaminhamentos de funcionamento.

Membros do Conselho Assessor:

AMAURI MORAES
CTG TIARAYU
DOBRASIL RENATO MELO DO NASCIMEMTO
DTG LENÇO COLORADO
JOELCI  ALPE GUIMARÃES
CTG CARRETEIROS DA SAUDADE
ALBENI CARMO DE OLIVEIRA
35 CTG
LILIAN PEREIRA DIAS OURIQUE
CTG CHALEIRA PRETA
LUIZ CARLOS SANTOS DE SOUZA
CTG LAÇO DA AMIZADE
MARIA EDITE ANTUNES FERREIRA CALEGARO
CTG CHIMANGOS
DIEGO TIMM DE SOUZA
CTG RANCHO DA SAUDADE
PAULO ROBERTO ROSSAL GUIMARÃES
CTG CHIMANGOS
ELOIM PEREIRA
CTG CHALEIRA PRETA
ROBERTO RIBEIRO JOST
CTG LAÇO DA AMIZADE
CLAUDIO OURIQUE
CTG PEALO DA ESTÂNCIA
GLADIS MARIA GEDEÃO PINHEIRO
CTG TIARAYU

Em relação ao Conselho Assessor ficou assim definido:

Presidente: Paulo Roberto Rossal Guimarães – CTG Chimangos
Vice- Pres.: Dobrasil Renato Melo do Nascimento – DTG lenço Colorado
Secretário: Diego Timm de Souza – CTG Rancho da Saudade

Ficou ainda definido:

1-     Dia das reuniões e horário: última quinta-feira do mês às 20 horas.
2-     Local de reuniões: preferencialmente na sede 1ª RT e eventualmente em outro local por convite dos conselheiros
3-     Suplentes terão os mesmos direitos e deveres dos titulares devendo portanto comparecer em todas as reuniões.
4-     Próxima reunião marcada para dia 27/04 na sede da 1ª RT
5-     Pauta próxima reunião: apresentação e discussão de sugestões ao Regimento do Conselho Assessor.
6-     Sugestões gerais:
             A – Resgate antigo livro de atas do conselho anterior
             B -  apresentado ao Coordenador  1ª RT sugestão de mutirão para trabalhar na sede  com os membros do conselho se colocando à disposição.
O evento contou com a presença do Presidente do MTG sr. Nairo Callegaro bem como do Assessor Jurídico 1ª RT Sr. Sinval.






quinta-feira, 30 de março de 2017

Francisco Scorsatto Ferreira dançou chula em um quadro da atração do SBT




Soledadense participa do Programa Silvio Santos
Na noite deste domingo, 26/03, os soledadenses pararam em frente à televisão para assistir a apresentação do jovem Francisco Scorsatto Ferreira no Programa Silvio Santos. Filho de Adroaldo Parizotto Ferreira e Cíntia Scorsatto Ferreira, ele dançou chula em um quadro da atração do SBT.

Antes da apresentação, o jovem de 10 anos contou um pouco do que é a Chula para Silvio Santos, demonstrando alguns dos usos e costumes do Gaúcho. Após a dança, o apresentador se mostrou surpreso com a habilidade de Francisco dançando sobre a lança sem tocá-la. Além disso, ao final ele arrancou elogios dos jurados da atração do Programa.

Nas redes sociais, Adroaldo e Cíntia receberam muitas mensagens. Os internautas parabenizaram e elogiaram a apresentação de Francisco.


17499290_1855259268049045_2915393966800459255_n
17553829_747776655399515_5051098199908609888_n

Reunião Sub-Coord. Zona Norte em 29/03/17


Ontem, 29/03/2017 aconteceu a 1ª reunião da Sub-Coordenadoria da Zona Norte da 1ª RT nas dependências do 35 CTG.
A nova Sub coordenadora apresentou sua equipe de trabalho para os Patrões e representantes das Entidades da Zona Norte, que contou com a quase totalidade das entidades.
A reunião contou com a presença dos Vice-Coordenadores Edinho e João Paulo da 1ª RT, bem como do Vice-pres da Fundação do MTG, além de conselheiros do MTG.
Todos desejaram para a Sub - Coordenadora Márcia uma boa gestão.
A próxima reunião ficou marcada para o dia 27/04, no CTG Vaqueanos da Tradição, às 20;30 horas.











quarta-feira, 29 de março de 2017

Contagem regressiva para mais um #vempromate



Quando o assunto é ‘chimarrão’, não existe qualquer distinção, seja de raça, crença, nível cultural, posição social ou financeira. A bebida do gaúcho é popular e democrática. Não importa se a cuia é simples ou decorada - bomba e térmica da mesma forma. O chimarrão agrada a todos (ou pelo menos a muitos).
Com esse espírito, o Movimento Tradicionalista Gaúcho mais uma vez faz a frente na realização do #vempromate. A iniciativa começou em 2015, com o objetivo de comemorar o Dia do Chimarrão e do Churrasco (24 de abril). O convite é para que, neste dia, todo apreciador publique uma fotografia sua mateando e, na medida do possível, também encontre amigos, familiares e colegas para celebrar presencialmente a data.
Quem digitar #vempromate nos sistemas de busca de mídias sociais, em especial Facebook, Instagran e Twitter, entenderá a razão pela qual o chimarrão é símbolo de amizade e hospitalidade. As fotos que aparecem no relatório da pesquisa, relativas à edição de 2015 e 2016, evidenciam o quanto o chimarrão é popular. Não tem lugar, nem hora do dia, quanto menos tempo ruim. Crianças apreciam, adultos, idosos, homens e mulheres... O mate é companhia no trabalho, na sala de aula, nos momentos de lazer, quando se está sozinho ou acompanhado, com pilcha e sem pilcha.

Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, o #vempromate está se consolidando no calendário de eventos da entidade. ‘Muitas vezes somos criticados porque realizamos com muito sucesso eventos competitivos, seja na área campeira, seja na área artística, e o #vempromate vem mostrar que, antes de competir, estamos disponíveis ao encontro, à união”, afirma.

Fonte: Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG

segunda-feira, 27 de março de 2017

Nota de Falecimento - Waldemar Alchieri




É com grande pesar que comunicamos o falecimento do nosso amigo Waldemar Alchieri.

Conhecido tradicionalista da capital, por sua loja de artigos gauchescos no centro, Alchieri & Cia (Um nome de tradição, na tradição do Rio Grande), foi um dos maiores fornecedores de pilchas para grupos de danças. Casado com Ana Alchiri (já falecida) participaram ativamente do tradicionalismo no Rio Grande do Sul. Foi Conselheiro da 1ª RT, do MTG, da Fundação Cultural Gaúcha, Patrono dos Festejos Farroupilhas de Porto Alegre, em 2008, orgulhava-se em ser guardião da bandeira da capital nos desfiles de 20 de setembro.

Foi colaborador dos jornais Tradição e Eco da Tradição. Participou e honrou o Rio Grande em diversas cavalgadas, dentro e fora do estado. Mas o que o destacava era estar sempre disposto a ajudar. Se uma prenda não tinha o vestido para participar de um evento, mesmo sendo comerciante, não hesitava em dar o regalo para ver mais uma jovem feliz. Nos últimos anos Alchieri morava com seu filho em Natal – Rio Grande do Norte, onde seus restos mortais serão cremados.

Porongo - Taça rude do Gaúcho


O Porongo, propriamente dito, já era conhecido pelos Índios Guaranis no ano de 1580, quando então receberam os Jesuítas de Manoel da Nóbrega que prontamente se apresentaram para vir ao Guairá. Eles serão os pioneiros da Companhia de Jesus no Paraguai, eles, os Jesuítas da província de Portugal. Sofreram rivalidades e acusações infundadas, prisão, ferro e humilhações.

Estiveram quase perto de Porto Alegre, pois andaram na Aldeia dos Anjos (hoje Gravataí), foram embrulhados devidamente pelo astuto Cacique Anjos, e só desistiram do sul porque eles iam fatalmente entrar em choque de interesses com os Jesuítas Castelhanos, que desde Lima, Peru, avançavam pelo sul e para o leste.

Pois foi no Guairá que os Jesuítas encontraram a “Erva do Diabo” uma droga que tirava o cansaço dos índios e fazia com que não sentissem a fome e até excitava-os sexualmente.

Era muito fácil fazer o tal chá. Primeiro, os índios colhiam a erva no mato ("Caa", em Guarani, quer dizer tanto mato como erva), sapecavam ligeiramente as folhas com os restinhos dos galhos segados, amarravam um feixe com essas ramas por cima do fogo e alí ficava tudo, balanceando e ressecando devidamente. Quando as folhas estavam estalando e se rachando, era só socá-las num pilão de madeira dura com um toco longo, fino e cabeçudo, chamado de "Mão de Pilão." Tinha-se assim, e em menos de uma semana, erva pronta para o preparo do tal chá Guarani.

Era assim: O índio pegava o fruto de uma planta (Legionária Vulgaris, uma das cucurbitáceas, portanto parente da velha abóbora campeira) chamada de "Porongo", em forma de oito. À parte de cima, a parte menor do oito, era cortada e deixada para secar. Então ficava pronta a cuia, recipiente do tal chá.

O PLANTIO

O plantio do porongo se dá nos meses de Julho, Agosto, Setembro e raramente em Outubro.

A primeira colheita se faz no mês de Janeiro quando o Porongo já está lorando (ficando maduro) e pronto para ser raspado manualmente ou no escovão de aço, permitindo assim uma cor amarelada. Nesses casos, o Porongo deve ter uma atenção redobrada no processo de secagem para não "xuringar" (encolher, retorcer-se), outra maneira é deixar o Porongo secar na lavoura, aonde a colheita se faz lá pelo mês de maio, permitindo uma secagem uniforme e homogenia. Começa aí, o processo de beneficiamento do Porongo para transformá-lo em cuia.

BENEFICIANDO O PORONGO

Após a colheita, corta-se o Porongo na parte de cima, separando-se a cuia da parte de baixo do Porongo, chamada de "Bunda do Porongo."

Já com a cuia extraída do Porongo, coloca-se a mesma em estaleiro e a sombra onde circula corrente de ar, para não rachar e perder seu cheiro característico. Após isso, em primeiro lugar fura-se o centro da cuia retirando do seu interior, o bagaço mole até chegar na parede dura da cuia, após, lixa-se a aba ou bocal e seu interior deixando-a bem lisinha.

A parte do acabamento fica por conta de uma boa cera de polir, em um motor de alta rotação para dar brilho uniforme. Temos então, uma cuia lisa e polida.

A CUIA

A cuia dentre os apetrechos do mate, é a mais cantada e declamada pelos poetas sulinos. A cuia, que deve ser sempre de Porongo e, prefencialmente, o Porongo grosso ou doce, é o recipiente mais adequado para o Mate ou chimarrão do gaúcho, já que não modifica o seu sabor, não permite que a erva fique lavada precocemente, e não alterando ainda, a temperatura da água.

Existem cuias, confeccionadas de outros materiais, tais como madeira, barro cozido, porcelana, vidro e até de plástico, que foram diferentes tentativas de se buscar outros recipientes para o mate, em períodos diversos da história. Tentativas essas que restaram frustradas, já que nenhum se mostrou capaz de competir com o velho Porongo, descoberto pelos Índios Guaranis e conservado hediornamente, como vasilha ideal para o mate, cujo plantio é intensificado ano após ano, já que o hábito de matear continua fazendo adeptos.

ESCOLHENDO UMA BOA CUIA

Para se escolher uma boa cuia, quer para chimarrão, quer para mate-doce, deve-se primeiramente levar em consideração o tipo de Porongo "Casco Grosso e Doce" que é de uma variedade mais apropriada ao mate. Se para matear sozinho, uma cuia pequena, para matear duas ou três pessoas, uma cuia média, para matear em rodas de chimarrão, usa-se uma cuia grande.

COMO CURAR SUA CUIA DE PORONGO

Para curar a cuia de Porongo, é necessário que a mesma seja cheia antes do seu uso, com água quente, não fervida, e cinza de lenha de fogão ou lareira, para eliminar fungos ou bactérias, evitando mofo e ainda, enrijecer o casco, deixando-se por aproximadamente 24 horas, completando-se a água sempre que absorvida pelo Porongo até o bocal da cuia. Após, a cuia deve ser lavada em água corrente deixando-se secar por 72 horas, na sombra e em local ventilado. Finalmente, colocam-se novamente, duas a três colheres de sopa de erva-mate nova de sua preferência e água quente (não fervida) para não trincar ou rachar a cuia, e para curtir a cuia parelha. Após, novamente, deixa-se secar por mais 48 horas; o ideal é repetir o processo por duas ou três vezes.

CONSERVANDO SUA CUIA DE PORONGO

Uma cuia bem curada é um processo que deve durar de 12 a 15 dias, exigindo-se muito cuidado e carinho, pois esta não pode cair no chão, não deve ficar exposta ao sol, e deve ser bem lavada e enxugada com um pano de algodão.

Para se conservar uma cuia de Porongo sempre boa, sem azedar ou alterar o gosto do mate, é necessário tomar alguns cuidados, tais como: Primeiramente, a cuia não deve ser envernizada ou pintada externamente, deve ser polida com cera para dar brilho natural ao Porongo.

A cuia depois de curada, não pode ser usada diariamente, de forma contínua. O ideal, é que se use a cuia em um dia e outro não, deixando sempre secar em local arejado e na sombra, não podendo ficar com a boca para baixo, para não mofar.

Fonte: 500 Anos de História da Erva-Mate
Autor: Dorival Berkai e Airton Braga
Editora do Cone Sul
3ª ED. História do Chimarrão Barbosa Lessa / Sulina Porto Alegre - RS 1986

Foto: Pedro Luis Raota 

Tio Mena homenageado

Familiares, músicos, amigos e convidados do Tio Mena reuniram-se para, com um churrasco, homenagear Plinio Mena Barreto do Amaral. Na oportunidade foi apresentada a música (chamarrita) em sua homenagem com letra de Cesar  Agusto de Cesaro e música de Miguel Pereira entitulada "Caudilho do Bandoneon"​, ambos  foram os mentores para este evento​.
Muito elogiado por todos os participantes. Tio Mena como é conhecido, hoje com 92 anos é natural de Lagoa Vermelha, mas adotou Passo Fundo como sua segunda cidade, casou-se com Dona Elsa (hoje já falecida) com quem teve duas filhas: a Circe (casada com Waldir Mozzini, têm dois filhos a Caroline e o Ricardo) e a Zenilda (Kika), que têm dois filhos o José Guilherme e o Luiz Henrique.Tio Mena é hexacampeão do Enart no bandoneon.
Prestigiaram a homenagem mais de 120 pessoas, entre os quais o vice prefeito João Pedro Nunes entre tantos, como o Músico Monteiro de Porto Alegre e o Maestro Don Fernando Cassiet e família que se deslocaram da Argentina especialmente para a homenagem.
Tio Mena é o mentor e organizador do Encontro Internacional de Bandoneon de Passo Fundo que neste ano vai para sua XV Edição ininterruptamente, e que através do então deputado Diogenes Basegio criou um projeto de Lei que transformou Passo Fundo na Capital Estadual do Bandoneon.
Tio Mena é detentor da Medalha Fagundes dos Reis, maior comenda e honraria prestada pela Câmara de Vereadores de Passo Fundo por seus serviços prestados e pela divulgação que faz de nosso município. Também é ganhador de diversos concursos, Rodeios e EART. Trabalhou sempre em prol do tradicionalismo, por vários anos no CTG Lalau Miranda e um dos fundadores do CTG Tropel de Caudilhos.


Colaboração Hilton Araldi



 
Foto - Hilton Luiz Araldi

foto -  Waldir Mozzini





domingo, 26 de março de 2017

Votação popular seleciona 8 vagas para o Desafio Farroupilha





Chegou a hora da gente conhecer os 20 grupos pré-selecionados para o Desafio Farroupilha, o reality de danças tradicionais gaúchas da RBS TV. Durante mais de dois meses, prendas e peões de grupos adultos e juvenis invadiram as redes sociais com textos, fotos e vídeos, para responder a uma pergunta: porque merecem participar do especial? A partir de agora, até o dia 9 de abril, tu podes escolher no G1RS a tua invernada preferida. As oito mais votadas (adultas e juvenis) serão escolhidas para participar do reality.




Clique aqui e assista aqui algumas das melhores campanhas entre os 20 pré-selecionados.


Confira os 20 grupos selecionados:

GTC 20 de Setembro, Xangri-Lá
DTG Amigos da Tradição, Camaquã
CTG Bento Gonçalves, Santa Maria
DTG Camboatá, Novo Hamburgo
CTG Campeiros do Sul, Alvorada
GDF Chão Batido, Ijuí
CTG Darci Fagundes, Guaíba
CFTG Farroupilha, Alegrete
Piquete Nativista Giruá, Giruá
CTG Herança Paternal, Dom Pedrito
GAN Lagoa Vermelha, Lagoa Vermelha
DTG Lenço Branco, Santana do Livramento
DT Querência da Medianeira, Santa Maria
CTG Querência do Imbé, Imbé
CTG Pelego Branco, Taquari
CTG Pialo da Saudade, Gravataí
CTG Porteira da Querência, Sarandi
PTG Rancho da Amizade, São Gabriel
CTG Reminiscências, Montenegro
CTG Sepé Tiarajú, Santa Rosa


por Giovani Grizotti
Fonte: blog Repórter Farroupilha

sábado, 25 de março de 2017

Chula no Domingão do Faustão

origem: https://www.youtube.com/watch?v=CD2bToWOeQ4


video

CTG Chimangos convida para sua Xirú estilo Paixão

No dia 24/03/17 aconteceu mais um ensaio da Invernada Xirú do CTG Chimangos, que conta já no seu terceiro ensaio com 6 ou 7 pares em algum momento.
O grupo formado recentemente convida a todos que participem dessa invernada, cujos ensaios acontecem sempre às sextas-feiras, 20:30 horas.
Nesse mesmo dia sempre após o ensaio acontece uma janta com bóia campeira feita pelo patrão da casa Sr. Callegaro, bóia de primeira.
Informações sobre o grupo falar com Guimarães fone:3338.8738 ou 99987.5880 (whatsapp).

Guimarães
Coodenador da Xirú





sexta-feira, 24 de março de 2017

Curso de danças estilo Vacaria

Lançamento do livro Passos e Compassos das danças gaúchas, dia 01 e 02 Abril CTG Gildo de Freitas, Porto Alegre.

video

quinta-feira, 23 de março de 2017

Espetáculo inspirado no pampa tem apresentação neste sábado

Foto: Sabrina Canton Van Helden/Divulgação PMPA
Apresentação está marcada para as 17h e tem duração de 55 minutos
Apresentação está marcada para as 17h e tem duração de 55 minutos

A obra coreográfica Verde (in)tenso, da Geda Cia. de Dança Contemporânea, com mais de 35 anos de trajetória artística do Rio Grande do Sul, será apresentada neste domingo, 26, no Parque Farroupilha (Redenção), dentro das atrações da Semana de Porto Alegre. O espetáculo é baseado em pesquisa gestual do homem do pampa gaúcho. A apresentação ocorrerá próximo ao Espelho D’água, a partir das 17h, com duração aproximada de 55 minutos.
 
No palco, dançarinos fazem, por meio de seus movimentos, um recorte da personalidade pampeana sob o enfoque antropológico e territorial e relacionando o tema contemporaneidade. A concepção do trabalho contou com a participação da escritora e pesquisadora da história do Rio Grande do Sul, Elma Santana. Com música de James Correa, doutor em composição, a trilha contemporânea incorpora fandangos, milongas e polcas, sintonizada com a melancolia do gaúcho que se movimenta neste pampa de verdes intensos. 
 
Ficha Técnica
Coreografia e direção: Maria Waleska Van Helden / Elenco: Andrew Tassinari, Consuelo Vallandro, Fabiane Severo, Graziela Silveira, Miguel Sisto e Sahaj / Assessoria dramatúrgica: Camila Bauer / Trilha sonora: James Correa / Cenografia: Élcio Rossini / Assistente de Cenografia: Flavio Moreira  / Figurino: Daniel Lion / Direção de produção: Kapsula Produções e Lucida Desenvolvimento Cultural / Produção: Luka Ibarra e Ana Paula Reis / Iluminação: Maurício Rosa / Operação de som: Driko Oliveira / Ensaiadora: Fabiane Severo
Duração: 55min

Confira a programação completa no site aniversario.portoalegre.rs.gov.br.
 



/danca

Texto de: Cleber Saydelles
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

MTG reúne entidades para avaliação do Fegadan




O Movimento Tradicionalista Gaúcho realiza, no dia 31 de março, reunião com as entidades que participaram da edição 2016 do Fegadan – Festival Gaúcho de Dança. A coordenação da atividade é da vice-presidência artística, a cargo de José Roberto Fischborn.

Foto: TV Tradição
O encontro acontecerá na sede da 25ª Região Tradicionalista, a partir das 20h. Na pauta, avaliação do evento e projeção do Fegadan 2017 e Fenart – Festival Nacional de Arte.
A sede da 25ª RT fica na Rua Teixeira de Freitas, 1461, Caxias do Sul/RS.

Fonte: sandra Veroneze
Ass.Imprensa MTG

Curso para Avaliadores Regionais já tem data



O Movimento Tradicionalista Gaúcho anunciou para os dias 24 a 26 de março a realização do curso de Preparação de Avaliadores Regionais para Concursos de Danças Tradicionais. O evento acontecerá em Porto Alegre, gratuitamente, com organização da vice-presidência artística, a cargo de José Roberto Fischborn.


No encontro, para o qual são aguardados representantes das 30 regiões tradicionalistas do Rio Grande do Sul, serão realizadas palestras, provas teóricas e práticas e também entrevistas relacionadas a temas como estrutura do MTG, voluntariado, ética, conduta e motivação.

São pré-requisitos para os interessados em participar serem indicados pelo Coordenador Regional, ter conhecimento pleno de todas as danças tradicionais (conforme a 4ª Edição do Manual de Danças Tradicionalistas), ter pelo menos 21 anos e não ter envolvimento com grupos de danças (instrutores, ensaiadores, coordenadores).

A iniciativa faz parte do novo posicionamento do Movimento Tradicionalista Gaúcho para qualificar o sistema de avaliação dos concursos de danças tradicionalistas, que foi um dos temas debatidos no 65º Congresso Tradicionalista Gaúcho, realizado em Bento Gonçalves no início do ano.

Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, esse curso assinala um momento importante na história da entidade, demonstrando disposição e disponibilidade para empreender as mudanças que são necessárias para o fortalecimento do tradicionalismo e seus princípios.

Xirú estilo Paixão Chimangos com 5 pares

No ensaio do dia 17/03/15 a invernada Xirú estilo Paixão Côrtes ou Vacaria, ainda em formação já contou com 5 pares.
Continuamos convidando quem queira se entreverar nessa invernada em nosso CTG, que tem seus ensaios às 20:30 de todas as sextas-feiras  na Rua Pitoresca,611-Partenon.

Contatos c/Guimarães f:3338.8738 e Whatsapp:99987.5880.


 


quarta-feira, 22 de março de 2017

29ª Fecars reúne 1500 laçadores com sucesso ancorado na parceria, união e voluntariado



O Movimento Tradicionalista Gaúcho realizou, no final de semana, a 29ª edição da Fecars – Festa Campeira do Rio Grande do Sul. Em Rolante, o evento reuniu 1500 laçadores das 30 regiões tradicionalistas do Estado.

Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, esta foi uma das maiores Fecars já realizadas, com alto nível de qualidade e com um novo e austero modelo de organização e parcerias, exigido pelo atual momento. “Superamos todos os obstáculos de forma unida, com muita harmonia e força. A instituição sai mais fortalecida e vida longa ao MTG”, afirmou.

O presidente fez um particular agradecimento aos coordenadores, diretoria do MTG, à FCG - MTG, conselheiros, amigos, participantes, entidades filiadas - em especial à 22ª Região Tradicionalista, à comissão executiva do evento, ao Piquete Três Estâncias e administrações municipais de Rolante, Igrejinha, Taquara, Parobé, Riozinho e Três Coroas e especialmente aos voluntários. “No Congresso debatemos e escolhemos o voluntariado como tema quinquenal e nossas entidades estão de parabéns, demonstrando que este é o espírito que as sustenta e também ao Movimento como um todo, rumo aos próximos 50 anos!”
Palestrante Valter Fraga Nunes (E), Moacir Gomes, Zoreia (C), Simone Girg e Valdecir Chamurro
Um dos pontos altos do evento foi o Seminário de Cultura Campeira que teve palestra com o Professor Valter Fraga Nunes e o tropeiro, Marco Aurélio Angeli, o Zoreia, tratando de tropas, tropeadas e tropeirismo. Com uma belissima apresentação do gaiteiro e ex-coordenador da 1ªRT, Valdecir Chamurro e a apresentação de danças Birivas, do professor Moacir Gomes.


Fonte: Sandra Veroneze
Rogerio Bastos - Foto 2 - Liliane Pappen

terça-feira, 21 de março de 2017

DANÇAS PAIXÃO - TIRANA CHARRUA

video

DANÇAS PAIXÃO - VALSA DA MÃO TROCADA

video

DANÇAS PAIXÃO - VALSA DO PASSEIO

video

DANÇAS PAIXÃO - QUEROMANINHA

video

DANÇAS PAIXÃO - VANERÃO SAPATEADO

video

DANÇAS PAIXÃO - TIRANA DO OMBRO

video

DANÇAS PAIXÃO - SARNA

video

DANÇAS PAIXÃO - PONTA E TACO

video